sábado, 22 de fevereiro de 2014

EU NÃO SOU DAQUI

Enxergo a vida como uma série de desencontros pontuada por ocasionais encontros. Quando escolhemos viver em determinado país ou cidade, quando escolhemos viver seguindo regras, fechamos as portas da nossa mente para o resto do mundo. Escolhas: escola, faculdade, casamento, paternidade, profissão, carreira. Às vezes admiro quem vive seguindo caminhos já mapeados, navegando a potente corrente desenhada pela sociedade. Será que consigo isso? Viver em sociedade é um desafio porque às vezes ficamos presos a determinadas normas que nos obrigam a seguir regras limitadoras do nosso ser ou do nosso não-ser. Quero dizer com isso que nós temos, no mínimo, duas personalidades: a objetiva, que todos ao nosso redor conhece; e a subjetiva. Em alguns momentos, esta se mostra tão misteriosa que se perguntarmos - Quem somos? Não saberemos dizer ao certo!!!Agora de uma coisa eu tenho certeza: sempre devemos ser autênticos. As pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser, e creio que por esse mundo reside o eterno conflito da aparência x essência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores